A maldição da tese

É chegado a hora, nós seremos finalmente aquele temido casal, após anos

compartilhando sorrisos pequenos e constantemente pressionados

pela nada privacidade que tolerávamos de nossos pais

que tramavam por nossa separação.

Quando estava com você nos momentos mais modestos e simplesmente

apresentáveis, como dias de chuva após uma semana inteira ensolarada,

e dividíamos o cheiro de poeira abaixar enquanto imaginávamos o natal chegando, quando

era o segundo entendimento de que o nosso aniversário estava por chegar.

Estar contigo é como cair e não sentir a dor, porquanto dócil seu carinho é por mim,

na verdade, é muita sorte ter você como minha namorada já que é pateticamente ignorante

com as pessoas que não quer por perto.

Não sei se você se lembra, quando você pisou num certo cocô antes de um casamento de sua prima,

então descontou toda raiva em mim, até que apanhei meu par de tênis e coloquei em seus pés suados.

Ficou tão hilário, que sua irmãs postaram na rede e divulgaram a nova moda que inovou a tradição da sua família,

no final você sorriu com os lábios gemendo de insegurança, e comemoramos seu incrível mico,

com certamente a melhor noite de todas.

Sei, homens são possuídos de tesão quando estamos frente a frente de uma mulher.

Mas com você foi quase um grito meu surgindo por minhas entranhas, com as bochechas corando

de tal forma que…eu comecei a soluçar.

Entretanto, a calamidade que tornamos a sós, foi mais que absurdamente fantástico.

Você confirmou uma vez: “Doa a quem doer, amor verdadeiro é loucamente grudados por pessoas incomuns, que distribuem a mesma fonte de sentimentos, a emoção, a luz e o preconceito”.

Maldita tese! Mentira, esse lado verdadeiro, não coube para o que você sentia por mim. Em verdade, você explorava as pessoas pelo rico e forte conexo com o mundo da grana, e eu por outro lado caí nessa tal cilada.

Eu não acreditei desde do período que estávamos contentes, porque, felizmente os dois anos de namoro, nós compraríamos uma casa perto do lago, e etc…sinto tão perplexo e enfurecido com toda paráfrase que constatou sob sua boca, na qual eu beijava com gosto.

Bons tempos;

Até pensei em me vingar, mas seria provavelmente uma perda de tempo e outra, por mais que via você totalmente sozinha, eu gostaria certificar-te:

Kate,

“A minha pequena moradia era estar próximos de visões brilhantes, de lares construtivos, onde o seu e o meu, ficaria solenemente adquirido pelo termo nós; e você tornou tudo mais difícil, mas todo recomeço se constitui de novas razões, deixando o nós para pessoas que realmente preferem a felicidade a qualquer custo melhor”

x~x


JkMonde

Anúncios

C⚉MENTE

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s