Tão puro quanto

Salut, (que sua segunda-sexta seja inteiramente deslumbrante quanto um sorriso sincero!)

Já começo escrevendo com os holofotes de Chopin e, seus brindares toques escondendo a emoção mediante a gravura estendida nas teclas que vós penetra. Como não poderia ter ouvido esse esplendor antes? Se tornou minha nova inspiração!

Com a saciedade e desavenças, por mais que o fim de semana fora sossegado e acomodável, sou uma pessoa que fica preconizando a natureza humana. Seu olhar, seu contato meticuloso com cada essência… é uma magia que se derruba crescentemente com a má centralização de se desconectar com essa beleza verídica.

De tão verídica, observei o universo genuíno. A inocência acobreada. A gentileza de desvendar o mundo, da curiosidade, do poder amar sem sentir mágoas, sem sentir culpa de quem verdadeiramente se torna um companheiro, de quem literalmente os acompanha. A criança é uma matéria-prima fixada de carinho e determinação. Ora, se todos nós voltássemos a ser criança. De querer apenas o engenho dos braços da mãe, da província de se aventurar nos pequenos hectares do pedacinho do mundo, da preocupação em fazer o bem a todo momento, de tentar prover a paz acima de tudo, de conceder um acorde a cada traço desenhado, de ser a própria obra. De inovar cada brincadeira com um sorriso dengoso, de uma lágrima sem ferimentos, de um corte sem cicatrizes. Além do que podemos dizer sobre eles é um enigma impérvio. A pior agonia é abandonar essa pureza. É inevitável sentir falta de ser criança. Pena que o tempo eleve esse encanto para os domínios do mundo. Tão puro quanto o raiar do sol; cada nascer, uma legítima obra de alvura.

DSC03812
photography’s jak

assinatura

 

Anúncios

3 comentários em “Tão puro quanto

  1. Por mais que se pense poder abandonar essa essência infantil ela não pode ser abandonada. Apenas se adormece-a e basta querer trazê-la de forma correta a partilhar do amadurecer que a composição torna-se obra prima. Por esse motivo sempre convido a todos com a palavra, “permita-se”. 😉

    1. Bravíssimo! Isso não pode morrer, a infância é verdadeira essência que guardamos conosco. Permita-se é um verdadeiro ego para encaminhar-nos a instantaneidade do amadurecer sem perder o foco do que um dia fora uma matriz. ✌

C⚉MENTE

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s