Sobre índices e cogitações

Quem é vivo…

Sempre aparece! 

Olá mundo. Após um desequilíbrio emblemático, enfim reapareço. Não me lembro da última reverência ao se confidenciar com essa sensação. Um pedacinho de mim estava em alerta, eis que reacendeu.

Antes de tudo, de qualquer caractere ou situação mal correspondida, peço 1000% desculpas pelo tempo ausente canalizado ao decorrer desses dias. Tenho tido muitas reconsiderações em relação ao blog. Tipo? Aquelas que nos integram emocionalmente, um tempinho para nós, para a vida, para a realidade, a dura e inconversível realidade.

Tenho apresentado alguns sintomas desesperados e ao mesmo instante, momentos circunflexos de decisão e soberania. Portanto, o mau disso tudo foi causado pela ansiedade. Não me importo em levantar suspeita sobre esse assunto, porquanto, é um posicionamento de muitas pessoas e que cada vez mais atinge a sua maioria. Sim, me refiro a imprescindível depressão.

A gente convive com ela. Posso similar seu contorno como um vírus; se espalhando aos poucos, por sua aura enérgica, seus pensamentos elementares, seus distúrbios racionais e enfim seu modo de viver e de se relacionar. Acredite, ela ataca todos os membros, principalmente o ser eu. Aí que surge o interrogatório. O trejeito do duvidar de tudo.

DSC06483.JPGPassado esses dias intocáveis e cinzentos, eis que interrompi certos rendimentos. A minha vida literalmente pausou para uma repaginada, do alimento digestivo, do combustível essencial do viver. A família nessas horas… é o melhor complemento. O apoio moral é o caminho desse revesamento. O diálogo, os sorrisos, o estar presente, isso muda tudo. Isso mudou tudo.

A mentalidade do homem faz com que ele sustente uma euforia onde não há. E isto é o convexo geral da convivência atual. Porque criar uma imaginação do estar bem, sem ter a presença desse sentimento, é um jogo redimensionado sem autenticidade que não chega a nenhum lugar.

O melhor jeito? Não há melhor jeito do que aprender ser paciente com você e o seu tempo. Se as coisas não deram certo, se as coisas não estão certas, relaxa… portas abrirão, janelas iluminarão e suas perguntas serão respondidas.

Desde que tenho me aplicado a essa filosofia, não temo mal algum por um obstáculo em meu caminho. Não exitem acidentes. Desde que meus pulmões estejam trabalhando, minhas mãos cheias de esperança, meus pés encaminhados ao infinito e além, me sobra inteiramente ter asas para voar e ter fôlego o suficiente para conquistar os meus sonhos. A vida é uma caixinha de surpresas. E essas surpresas são as que desmentem a ideologia da palavra destino.

Então…

Vivais momentaneamente.

Siga o seu coração

Deixe brilhar em seus olhos,

a mais linda e encantada diversão.

DSC06162.JPG


Photos| Jak

à bientôt

Anúncios

17 thoughts on “Sobre índices e cogitações

  1. Menina, que texto depoimento impressionante! Pela sinceridade, pela exposição, pela certeza de que, apesar de tudo, vale a pena viver sempre! Depressão é uma doença da modernidade e bem raros (cada vez mais) passam ao longe dela. Sei como é e do quanto se precisa de apoio, compreensão e carinho da família que é nosso arrimo emocional. Desejo total restabelecimento, força para seguir sua vida e por favor, use e abuse da escrita e leitura para se fortalecer. É uma puta terapia!
    Bem vinda de volta!
    Bjs

      1. Que grande coração o teu Ana. Boas energias pra ti também. 😉 Que sejamos presenteados pela resiliência de 2017.
        Obrigada pela generosidade,
        Jak

  2. Oieee!
    Adoro ver quando as coisas desenrolam, saem de dentro pra fora, sem medo, sem pinceladas. Bem vinda a vida como fizéssemos de conta que já não a conhecesse.
    Vou abusar e deixar uma frase Jak que atribuem ao Dalai Lama. Eu já a aprendi sendo de Confúcio, mas de qualquer forma é sábia.
    “Só existem dois dias na vida que nada podemos fazer. Um se chama ontem e por pertencer ao passado, ficou lá. O outro se chama amanhã e por ainda não acontecer devemos aguardar seu momento. Mas existe o hoje que é exatamente o momento que necessitamos para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.Participar intensamente dessa aventura exige do Ser humano resiliência, viva então a vida com responsabilidade, discernimento, amor e principalmente paciência”. Beijos! 😉

  3. Oi Jak, muito bom te ver de volta no blog. Espero sinceramente que você esteja bem, melhor em todos os sentidos. Momentos de depressão e ansiedade tem se tornado cada vez mais comuns, infelizmente. Temos que lutar contra isso com muita paciência e positividade, sem dúvida. Um beijo! :*

C⚉MENTE

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s