Do cotidiano sem chão

Envoltos pelo abrigo,

Engenhados pelo castigo.

Esculpidos de itinerância,

Á lugares sem esperança.

Derivativos de consciência

Dilacerados por instância;

Vitalizados por sequer especiaria,

Dos quais se elegem a insignificância.

Confinados a esquecer do presente,

Conjugados a lembrar do pretérito.

Da vida que servia de essência,

Do qual não mais se têm seu mérito.

photo-text|jak

Anúncios

4 thoughts on “Do cotidiano sem chão

C⚉MENTE

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s