DESFILADEIRO DIÁRIO

Dada a largada e os olhos atados se divorciam Á procura de um cenário vistoso Mentes brilhantes me desafiam Rastreio os albores Interfiro o brilho — degluto minha ablepsia O palmo, o bruto, um certame, um consenso, uma heresia Distraio agouros seguindo a tática da imitação Recebendo o sol que não queima A chuva que … Continue lendo DESFILADEIRO DIÁRIO

Anúncios

DOIS CAFÉS, UM DESENHO e O AR

Por mais que o tempo passe, tudo, —em memória de momentos únicos— ressurge os períodos vagos.  Penso eu ao se delongar de frente á manhã nublada, álacre de tentações. Manhãs como essa, tal dia, viera a me prestigiar em confrangimento do acordar, em pleno horário de verão, o despertar diurno anegralhado. Dificilmente tenho recordações aleatórias, … Continue lendo DOIS CAFÉS, UM DESENHO e O AR

MARCAS

Existem marcas em todo lugar Daquelas estampadas de sol Até as que não se pode enxergar. Algumas exigem um esforço memorável Talvez a marca de nascença, Um tipo bem provável. Outros assumem o advérbio da nota, uma célula, um apreço Advindo de muita história Sobre a qual não há texto. Muitas delas são inatas Indestrutíveis … Continue lendo MARCAS

O sucessor das três letras

15:49 post de hoje: poesia - photos/text por jak Abriram as asas, venha-se o vento Fecha-te as mágoas, livrais do sofrimento Das velhas manias, declinam-se forças internas repletas por si, inteiramente, esportivamente, discretas. Um só por todo, encarece o tecido desfiado Como a vela no escuro, num dia ensolarado reduzindo... vociferando... Espreitando a veracidade, no … Continue lendo O sucessor das três letras

O DECAIR do ÁTOMO

22:49  boa noite - acompanhe o texto com música - photography/text  por jak e quando a vista começa a melhorar, o horizonte não mais persevera, a condolência reside e a parede construída esgota-se, evola-se, deixando rastros, sombras, ou algo que identifique que nada deu certo. é necessário dar corda várias vezes, afiliar-se ao manto flexível, reiterando, … Continue lendo O DECAIR do ÁTOMO

Que horas são?

Cinderella - Coming Home Não vejo o momento para estar em casa Enfastiar os vizinhos em plena sexta-feira à noite Contanto, Contando... É complicado quando você mesmo já não sabe quem foi Algo que se prese convida a memória mais construtiva em remorso de sua gravidade caritativa Ainda me pergunto: se todas as perguntas fossem … Continue lendo Que horas são?

~enquanto duram

'escolha o caminho fácil e assim que possível o sol estará entre triagens transparentes. assim que tudo passar, a natureza nos impedirá de sossegar na mesma tecla. então se possível, vá pelo caminho difícil. avance a plataforma pela medonha façanha do desconhecido. enquanto durarem nossas cotas que incitam do mesmo golpe debulhado de entusiasmo, a flexibilidade de nossos … Continue lendo ~enquanto duram

ESPERANÇA

ouça junto - Cartola: As rosas não falam Esperança Espera. Desesperadamente. Nela. A esperança. Esperança é acordar na igualdade e ver o azul em diferentes tons de alegria. Esperança é chorar o erro e virar as páginas pré possante de agonia. Esperança. Se por assim dito, ainda há, ou será de estar em algum foguete? … Continue lendo ESPERANÇA

TIME of LUNCH

~o sol é para todos... o brilho por si só!~ Salut (puxa, faz muito tempo que não uso essa palavra), como vão? Hoje venho (-bem atrasada) para preparar uma receita fresquinha que separei especialmente para todos. Faz muitos dias sem postar uma comidinha olorante por aqui. Pois muito bem... os ingredientes são bem fáceis de encontrar, então … Continue lendo TIME of LUNCH

DA PALAVRA EXISTIR

19:21 exitem os justos. existem á eles. um poder senão apunhalar o não; 100 palavras e uma música. Pink Floyd - Learning to Fly Pensa. De modo refratado por quão imerso à insistir. O homem. Persistente a irremediável posse na face da terra. A vida. Um monumento estrangulado por altos e baixos. A história. Demasiadamente … Continue lendo DA PALAVRA EXISTIR