~enquanto duram

2016-11-30 10.56.17 1.jpg‘escolha o caminho fácil e assim que possível o sol estará entre triagens transparentes. assim que tudo passar, a natureza nos impedirá de sossegar na mesma tecla. então se possível, vá pelo caminho difícil. avance a plataforma pela medonha façanha do desconhecido. enquanto durarem nossas cotas que incitam do mesmo golpe debulhado de entusiasmo,

a flexibilidade de nossos poemas tomam o fingimento acolhido pela fauna soturna.

enquanto durarem os prazeres finitos, o vazio tomará coincidência de uma falta imprópria. entre um e o outro, caminhamos pelo canto da serenidade oculta.

enquanto duramos, a razão será apenas das poucas entrelinhas que estaria acompanhada do pouco, do muito. a combinação de imagens nos permite sermos o que aspiramos. enquanto duram, sem tempo a cronometrar, cenas de dor e felicidade, brindam a visibilidade real da pérfida entrada do tratado vivaz.

logo, o que durar, venha ser um verso mantido

de amor e ódio. de uma maneira franca de se excogitar.’

jk

DA PALAVRA EXISTIR

19:21 exitem os justos. existem á eles. um poder senão apunhalar o não;

DSC08761-01100 palavras e uma música.

Pink Floyd – Learning to Fly

Pensa. De modo refratado por quão imerso à insistir. O homem. Persistente a irremediável posse na face da terra. A vida. Um monumento estrangulado por altos e baixos. A história. Demasiadamente poético aquém digere a sucumbir a encruzilhada. O rumo. Proeza solícita a margem rítmica ao estado de âmbito. A máscara. Peça encarquilhada a soberania explosiva à outrem. O corpo. Diadema passional as necessidades radicais no apogeu do mundo. A alma. Desejo matizado ao toque harmônico nas profundezas da veracidade intangível integrada ao físico. A existência. O agora de ontem, o óbvio do amanhã; mediante, adiante… as revelações do universo.

-good Night- photo/text by J∀K

SUSTENTAÇÃO’

mares.jpgToma-te o porre

Ó velha epifania

Toma-te ideias

Que os mares espantam

Toma-te paz

Ou envelheça dela

Toma-te ao céu

Ó frescor arrendante.

photo|text by jak

 

MANUAL de ANTÔNIMOS

pase.jpgEveyday: Phil Collins

Se for tarde, amanheça

Se for chuva, faça sol

Se for fora, esteja dentro

Se for rápido, delongue-se

Se for som, silencie

Se for alto, recline

Se quadrado, circule

Se for difícil, descomplique

Se propenso á liberdade, leia

Se da falta despótica, esbanje

Se em nada temer, preconize-se

Se impossível, ame-se

Á tamanha dubiedade… quebre as regras!

photo/text by jak

TE AMO & NÃO QUERO TE AMAR

flowersjak.jpg

Perdidamente volvida, o copo e os talheres se mantém intactos
Distantemente refugiados por suas mãos.
Mantenho lembranças, recordáveis.

frase1

O estado como correram nossas raízes,
acabaram por apodrecer todas variedades e demais sequelas.
Exclusivamente a chama.
Pois saiba, amor é fogo. E uma brincadeira.
Em mãos erradas, o desbaratamento de emoções.
Uma crescente evolução de besteira.
Em meros caminhos, visões tenebrosas.
Vi-me ao teu lado.

frase2

Irrevogavelmente, sem adeus, deixaste-me só.
Uma carta, nem bilhetes.
Apenas o entardecer e os mofinos acobertados de pó.
Desde a alvorada desse surtir
Jamais enxerguei a chance de ter ver partir.

frase3

Conquanto percebas o mundo,
Ao redor, se gira a vida.
O pranto, se passas,
planta, rega, e por assim se alicia.
Não mais posso esperar, por uma voz
Que uma vez se dá.

Sou a própria das somas esfíngicas
A razão de continuar na saída,
Da qual se pode alcançar
Sem esmola.

tenha um excelente dia,

-jak-

#GIRLBOSS + 2OO RASTROS de APRENDIZADO

-hey, what’s up?-

Geralmente, ao preceituar de encontro a um final de semana (-seja ele prolongado), a última hipótese que passa pela minha cabeça é escrever por aqui. OK! São os dois únicos dias que tratamos da instabilidade do pensamento, o título de fazermos o que quisermos. Entretanto, dizem que os últimos sempre serão os primeiros, então, podemos concordar que essa ideia pode ser uma convenção a exercer hoje. 😉

Pois muito bem… rádio ligado (checado), cobertor sob os pés (checado), marasmo desativado (checado)… agora podemos começar; ffiiiniiiit _onomatopeia de assovio.

Nesta sexta-feira (21), a Netflix fez o generoso favor ao lançar a série baseada no best-seller biográfico da Sophia Amoruso, onde reúne em 13 episódios, a proximidade de uma jovem cheia de atitude vinda de San Francisco, la punk/hippie, passado a compensar suas experiências tediosas de trabalho até o tão sonhado emprego independente, cujo dedica-se visivelmente em vender seus achados vintage do brechó, em uma loja virtual no eBay, pela então nomeada Nasty Gal Vintage [trailer na imagem].

imagegirlboss.png

Se você pertence ao grupo de pessoas que já leu o livro ou faz parte daqueles que nem ao menos sabe do que trata, relaxaa… essa pessoa aqui, começara a ler o livro e parou na metade (-por motivos de emprestá-lo antes mesmo de ler por completo). Portanto, caso você se encaixe em algum critério instável como esses, deixarei 3 fatores pelas quais recomendaria á assistir GirlBoss:

  1. Comédia: No decurso das cenas, acontece diversos momentos de descontração, piadas e loucuras, inteiramente dispostas pelo modo como se socializa o ritmo do comportamento grosseiro de Sophia; de fato rola uns palavrões, mas nada que isso interfira em algo.
  2. Aventuras: As fases e deslizes da falta de controle, cede a conferência de muitas tentativas impulsionadas pelos seus então trabalhos, a qual nada impede de quebrar as regras, como roubar certas coisas.
  3. Empoderamento feminino: O preconceito, a dinastia da participação da mulher… a determinação persiste em ser o principal ornamento que se conjugue a vencer todas as insensatas contrariedades que as cercam durante toda sua convivência.

Considerações finais: em uma só tacada de 7 horas em frente a TV, a história me deixou intrigada com o fato de nunca desistir sobre suas decisões mesmo concentrado em opiniões de que somos diferentes ou estranhos. Raramente consigo assistir uma série até o final (-na maioria das vez, assisto por** nenhuma) rs. À que posso considerar minha requisitada atenção, está associada condicionalmente a esse processo de idas e vindas que muitas pessoas autônomas passam a frequentar. Todo mundo sonha em ser dona (o) do próprio negócio. Quem sabe nesse pico de euforia eu não crie um meio de empreender e deixar de servir os extremos dessa vida de patrões…!? Recapitulando, é uma série que recomendo a todos (16+). Tem lá seus altos e baixos mas, com certeza eu não seria especialista para construir uma visão criticamente amplificada, ‘capisce!

planta.jpg

Quanto aos 200 rastros de aprendizado…

SIM! O blog completou 200 posts essa semana e gostaria de extasiar esta nova etapa, agradecendo especialmente ao todo que fora se unificando. O desenvolver-se a cada dia, a presença ilustre de cada um de vocês, as tentativas malucas de escrever em momentos complicados… enfim, acho que isso pediu o desvelo á que citar. Já que não é todo instante que somos presenteados com uma notícia boa. Não que isso seja uma notícia, hein!

Bem, por hoje é só (-só 600 palavras escritas em 6hrs). Não sei como minha preguiça ainda não deu sinal de vida… hehe. Acho que essa é a verdadeira relação titulada: aprender e nunca desistir.

enfim se a vida fosse fácil, descartaríamos todos os objetivos para então ficarmos jogando peteca. 😀

e vocês? quais séries estão assistindo?

câmbio e desligo| jak

Instância de cores

2016-12-22 11.52.58 1-01-01-01.jpegE foi-se ao todo; uma correnteza exorável resfriando sobressalente o contorno do homem. O mesmo que fez as luzes, os prédios, as rotas, nunca tão perto esteve frenético a proximidade do escuro. Quão alto degradante. Esteve extraído nele, os dias embargados no vinho; falta perplexa do contato humano, área instabilizada da fertilidade amargurada; estatelada dose do se ver sozinho.

Regido de fúria, sempre em torno do atenuante restar. Medo da mesma sombra do que uma vez se pode tornar. Recesso de amor. Espesso de culpa. Cores que uma vez versavam, cinzas dependentes, ocupam sua sinceridade oculta. Mais do que o próprio verbo, esconde-se a face em tons de luta. Assim. Caminha ele. Presumindo o viver sem dele, as forças da necessidade enxuta.

-good morning, j■k-

MINI-HÁBITOs

~se a vida é feita de escolhas, eu escolho ser feliz| 11:01

Como vai, meu caro?? 🙂 Aposto que seu final de semana fora esotericamente doce, principalmente para os chocólatras, não? hehe. Nada que uma brincadeira daqui acolá fizesse de falta nessa comemoração. Pois bem, dessa vez meu alvo foi concentrado numa grande mulher aventureira. HEY, VÓ! Apanhei um desses ovos de galinha caipira, submeti em uma embalagem de sonho de valsa e a partir de uma cestinha decorativa, dei o golpe do ovo de páscoa!! É óbvio que ao contato alarmante de suas mãos, o sentido da brincadeira foi resultado de grande exaltação. Mas tudo ficou bem no final de contas, claramente sendo presenteada com seus sortidos suculentos, rs. 🍫

Well, well… hoje resolvi escrever um pouco. E se existe uma coisa que detesto é limites. Já tentei de tudo para depor com estrategismo de expectativas. Vamos contar que nem tudo, pois estou acertando essa reputação comigo mesma com um passo de cada vez. É um saco ter que conceituar um turbilhão de coisas com aquelas que seu corpo aparentemente já atende por domínio. Logo que previ essa entrância de uma nova fase, tornei a favorecer a prática dos mini-hábitos; nada mais é que uma organização diária dos seus á fazeres, entretanto, com escalas de menor tempo!

DESIGN JAK.JPG
um café, será sempre uma boa pedida.

Ok, vejamos um exemplo… ler. HA! Antes, eu mergulhava de cabeça em 1 capítulo por dia. No dia seguinte, não sabia nem a metade do que foi lido, devido a falta de concentração (-deve ser a velhice chegando). Essa semana iniciei o relance de ler 2pág/dia, até que felizmente eu pegue o hábito de acrescentar propósito sem sentir tédio. Outro meio, são os estudos. Ao contrário de se derreter em frente ao computador com tanta informação processando, estou averiguando 2hrs do meu tempo para efetuar a dedicação daquilo que me traz afins do conhecimento intelectual. De fato, a gente somente, coff coff, ‘só mente’, quanto a relação de querermos algo e acharmos que não conseguimos.

*pura verdade*

Portanto, nada que um empurrãozinho na consciência ajude a viabilizar o que queres do que desejas;

-e você? como lida com esses problemas no dia-a-dia? 

até amanhã, jak| 😉

mas para a alma faminta,

…todo amargo é doce.  (Provérbios 27:7)

Bom dia, –eis um sonsinho bom pra escrever 🚀

Cá estou. 15º semana do ano. Deliciando um café puramente quente. E de passe a esclarecer meu intervalo no blog. Sempre haverão duas coisas sobre as quais não poderei distinguir. As que tenho e as que me tem. Os diferentes pontos de vista, acabam ocupando o verdadeiro esboço do horizonte. Certo, certamente. Sempre em ascensão do exorbitante encontro. Meramente ilustrativo, é convencionar a mercê de nossas estatísticas estando sempre a frente do reflexo razoável. Isso não se detém á fatos, no entanto, aos fatores, por qual me servem ao incisivo perfeccionismo.

Ou seja, você aí, que deixa tudo em cima da hora, faz aquelas listas gigantes, escreve 200* rascunhos mas não acomete a repercussão em terminar… pois bem, era isso que estava acontecendo. Num momento tudo está sob controle, o domínio, a soberania… até que você desmaia na procrastinação e os problemas acabam surgindo onde menos se imagina. E claramente a vontade de um mundo á progredir, desaparece. Para tanto, neste momento reaparece. EHHHH -pausa para exaltação. 🙂   *EXAGEROS À PARTE.

desenhojak.JPGDesde então, passei a ruminar diante de tanta coisa que fiz até aqui. E fato é, se você não possui o disparo pelo desejo de fazer algo que realmente sinta-se a vontade, a melhor maneira á designar, é pressionar o gatilho em outro propósito. Nesse caso, gostaria de anteceder-lhe a notícia que, sim, estou de volta. E adivinhem? Todo conteúdo de agora em diante, não apresentarão sequer outra fonte senão criada/fotografada/desenhada/escrita por essa pessoa que vos escreve. Por que? No instante em que criei este espaço, a datar pelo início desta trajetória, essa era a verdadeira intenção. Reunir esse conjunto de loucuras que se remete ao meu mundo.

Finalmente, depois de tanto tempo procurando uma solução, mesmo estando com a resposta debaixo do nariz, eis o veredito para continuar a fazer parte dessa aventura. Fazer o que gosta. Ponto. FAZER e descobrir-se por acaso. Sem caso.

Afinal, sempre estaremos entre o sim e o não. Mas o talvez, nos dá tempo de sonharmos acordados, enquanto banhamos a tarefa de se recorrer a imaginar tudo que temos.

Nos vemos por aí,

hasta la vista,

jak

PARA ENCERRAR BEM O DIA – Jak K.

IMG_9199.JPG

150 palavras sobre o amor                                                                                   

Eu amava. Tu amarias. Como saber que nos amamos? Amar é desejo inescrutável. Infantaria atônica do sentimento aturdido; sem do mesmo, ausência incessante. Ora antes que saberdes amar á sermos amados, o amor se dá à quem ninguém pertence. Alvo sem retiro, pressa acalmada do toque. É colo ignóbil, entremeio à almas desconhecidas. É pendência plantada à inexistência ao que regar. A concentrada natureza silenciosa que alenta. O mergulho à céu aberto. Diferente, estridente e invisível. É alimento avito sem escasso de fome; ditado que se adorna ao elucidante viver. Amar-de-ei uns aos outros como devido a ti . Ames porquanto amarás. Dentre o calor derretido, a elegia do coincidente sofrer. Mas não sustente a verdade a quem lhe custe perecer. Simplesmente amável. Torne-se a adorar. Pois amor é pouco acima de qualquer escarpa. Ames incondicionalmente. Ainda que criastes chances do esquecer, sucessivamente do ser amado. Apenas amemos. À sobretudo amar.

jak|ouça

ATÉ SEMANA QUE VEM! ^^