TE AMO & NÃO QUERO TE AMAR

flowersjak.jpg

Perdidamente volvida, o copo e os talheres se mantém intactos
Distantemente refugiados por suas mãos.
Mantenho lembranças, recordáveis.

frase1

O estado como correram nossas raízes,
acabaram por apodrecer todas variedades e demais sequelas.
Exclusivamente a chama.
Pois saiba, amor é fogo. E uma brincadeira.
Em mãos erradas, o desbaratamento de emoções.
Uma crescente evolução de besteira.
Em meros caminhos, visões tenebrosas.
Vi-me ao teu lado.

frase2

Irrevogavelmente, sem adeus, deixaste-me só.
Uma carta, nem bilhetes.
Apenas o entardecer e os mofinos acobertados de pó.
Desde a alvorada desse surtir
Jamais enxerguei a chance de ter ver partir.

frase3

Conquanto percebas o mundo,
Ao redor, se gira a vida.
O pranto, se passas,
planta, rega, e por assim se alicia.
Não mais posso esperar, por uma voz
Que uma vez se dá.

Sou a própria das somas esfíngicas
A razão de continuar na saída,
Da qual se pode alcançar
Sem esmola.

tenha um excelente dia,

-jak-

PARA ENCERRAR BEM O DIA – Jak K.

IMG_9199.JPG

150 palavras sobre o amor                                                                                   

Eu amava. Tu amarias. Como saber que nos amamos? Amar é desejo inescrutável. Infantaria atônica do sentimento aturdido; sem do mesmo, ausência incessante. Ora antes que saberdes amar á sermos amados, o amor se dá à quem ninguém pertence. Alvo sem retiro, pressa acalmada do toque. É colo ignóbil, entremeio à almas desconhecidas. É pendência plantada à inexistência ao que regar. A concentrada natureza silenciosa que alenta. O mergulho à céu aberto. Diferente, estridente e invisível. É alimento avito sem escasso de fome; ditado que se adorna ao elucidante viver. Amar-de-ei uns aos outros como devido a ti . Ames porquanto amarás. Dentre o calor derretido, a elegia do coincidente sofrer. Mas não sustente a verdade a quem lhe custe perecer. Simplesmente amável. Torne-se a adorar. Pois amor é pouco acima de qualquer escarpa. Ames incondicionalmente. Ainda que criastes chances do esquecer, sucessivamente do ser amado. Apenas amemos. À sobretudo amar.

jak|ouça

ATÉ SEMANA QUE VEM! ^^

INTOCÁVEIS

flor.jpg

ouça junto

O belo, o impróprio
O servo, a negação

O limite, o impulso
A chama, a atração


A distância, o versículo
A diferença, a sensatez

A paixão, pura verdade
Por você, mais uma vez.

photo & text| jak

under the darkness

texto.JPG

Enquanto você se sentada, fiquei a observar cada movimento brusco vindo de toda sua improgressividade. Seus olhos estavam confusos, mal sabiam se fixavam para suas mãos banidas por insegurança ou, se olhavam para o que estava a seu redor. Até então, você me ofuscou com um gesto inepto, como se meu jogo de persuadir sua atenção fosse claramente uma tentativa imprecisa. Você nem ao menos redirecionava o olhar, tomando apressadamente um café expresso, sem sequer se preocupar em acrescentar o adoçante. Fiquei em dúvida do que passava pela sua cabeça, fiquei em dúvida do que me estava sucedendo. Subitamente, você se levantou e caminhou com um par de pernas perfeitamente desenhadas até á jukebox. Meu maior desejo naquele momento, era que eu pudesse ir em conjunto da minha altivez e executar um convite formal, na proposta de receber um sim como resposta. Mas eu ainda não havia um relato preparativo para fazer sobre você. Então a música tocou e comecei a interagir com a sua perspectiva.

Meu Deus! Como aquela música casava com seus olhos. Perdidos, porém ilustrados. E então, eles se esconderam debaixo de uma porcentagem negra. Os tais óculos escuros, o que dificultou toda minha transcrição. Indiferente do que me perguntava, fiquei ainda mais encoberto de ambição, de que estou frente á uma análise, de que estou louco de anuência. Estou louco sem improvisação.

E aquilo me friccionava. Estava disposto a despolarizar meus regimes afim de ir junto a você. E isso foi possível. Tomei comigo meus pertences e sentei-me a sua mesa. Pensei em primeira mão que iria hesitar. Mas o fato de você aceitar minha presença, ah, isso foi… sem previstos. Seus olhos voltaram a se radiar como sempre logo que retirou os óculos esculpido pela geometria circular, na recepção de conversar comigo. As borboletas no estômago, começaram a saltar de alegria. Não obstante, essa sensação foi minimizando. Como se tudo estivesse no fim. No fim de acabar com aquilo que começara.

IMG_6241.JPGA leitura de seus olhos, eram perspicazes de dúvidas. Por que estaria só ás duas da tarde num bar da esquina? Por que me aceitaria como sua companhia sem dizer alguma palavra? Por que usava os óculos para se esconder da realidade? Por que não tomei coragem para conhecê-la de perto? Por que não fiz nada do que imaginei? Por que imaginei não fazer nada daquilo que previ? Quem é essa garota de que tanto amei?  E por que ainda estou na mesa do bar? Até onde iria minha vida com toda essa ficção?

history & photos| by jak

Miradouro

DSC04329.JPG[photo by jak]

Nos teus olhos eu tropeço
Em teus olhos eu me encanto
Na alegria ou na tristeza,
São teus olhos que eu clamo.
 Jak

assinatura