ESPERANÇA

ouça junto - Cartola: As rosas não falam

DSCF1561.JPG
Esperança
Espera. 
Desesperadamente. 
Nela. 
A esperança. 
Esperança é acordar na igualdade e ver o azul em diferentes tons de alegria.
Esperança é chorar o erro e virar as páginas pré possante de agonia.
Esperança. Se por assim dito, ainda há, ou será de estar em algum foguete?
Foi-se pro espaço, num terreno bem abaixo de um lugar domado por uma rede.
Rede fisgada, pela serpente depravada, alimentada pelo medo.
Embora seja revistada, em todas as ordenadas, a parcela imprementada de um segredo. 
Esperança. É ser a verdade e uma leve coragem no colo do desatino.  
Esperança. É visar a entrada e estatelar os olhos ao indigesto pulsar do repentino.
Da fé se têm... confiança.
Da cor se rega... a lembrança. 
Da vida se espera... 
Espera. 
Desesperadamente.
Nela.
O vinhedo da perseverança.  
—
photo/text jak
Anúncios

DA PALAVRA EXISTIR

19:21 exitem os justos. existem á eles. um poder senão apunhalar o não;

DSC08761-01100 palavras e uma música.

Pink Floyd – Learning to Fly

Pensa. De modo refratado por quão imerso à insistir. O homem. Persistente a irremediável posse na face da terra. A vida. Um monumento estrangulado por altos e baixos. A história. Demasiadamente poético aquém digere a sucumbir a encruzilhada. O rumo. Proeza solícita a margem rítmica ao estado de âmbito. A máscara. Peça encarquilhada a soberania explosiva à outrem. O corpo. Diadema passional as necessidades radicais no apogeu do mundo. A alma. Desejo matizado ao toque harmônico nas profundezas da veracidade intangível integrada ao físico. A existência. O agora de ontem, o óbvio do amanhã; mediante, adiante… as revelações do universo.

-good Night- photo/text by J∀K

MANUAL de ANTÔNIMOS

pase.jpgEveyday: Phil Collins

Se for tarde, amanheça

Se for chuva, faça sol

Se for fora, esteja dentro

Se for rápido, delongue-se

Se for som, silencie

Se for alto, recline

Se quadrado, circule

Se for difícil, descomplique

Se propenso á liberdade, leia

Se da falta despótica, esbanje

Se em nada temer, preconize-se

Se impossível, ame-se

Á tamanha dubiedade… quebre as regras!

photo/text by jak

PARA ENCERRAR BEM O DIA – Jak K.

IMG_9199.JPG

150 palavras sobre o amor                                                                                   

Eu amava. Tu amarias. Como saber que nos amamos? Amar é desejo inescrutável. Infantaria atônica do sentimento aturdido; sem do mesmo, ausência incessante. Ora antes que saberdes amar á sermos amados, o amor se dá à quem ninguém pertence. Alvo sem retiro, pressa acalmada do toque. É colo ignóbil, entremeio à almas desconhecidas. É pendência plantada à inexistência ao que regar. A concentrada natureza silenciosa que alenta. O mergulho à céu aberto. Diferente, estridente e invisível. É alimento avito sem escasso de fome; ditado que se adorna ao elucidante viver. Amar-de-ei uns aos outros como devido a ti . Ames porquanto amarás. Dentre o calor derretido, a elegia do coincidente sofrer. Mas não sustente a verdade a quem lhe custe perecer. Simplesmente amável. Torne-se a adorar. Pois amor é pouco acima de qualquer escarpa. Ames incondicionalmente. Ainda que criastes chances do esquecer, sucessivamente do ser amado. Apenas amemos. À sobretudo amar.

jak|ouça

ATÉ SEMANA QUE VEM! ^^

PARA COMEÇAR BEM O DIA – F. Pessoa

Não Tenho Pressa

Não tenho pressa. Pressa de quê?
Não têm pressa o sol e a lua: estão certos.
Ter pressa é crer que a gente passa adiante das pernas,
Ou que, dando um pulo, salta por cima da sombra.
Não; não sei ter pressa.
Se estendo o braço, chego exactamente aonde o meu braço chega –
Nem um centímetro mais longe.
Toco só onde toco, não aonde penso.
Só me posso sentar aonde estou.
E isto faz rir como todas as verdades absolutamente verdadeiras,
Mas o que faz rir a valer é que nós pensamos sempre noutra coisa,
E vivemos vadios da nossa realidade.
E estamos sempre fora dela porque estamos aqui.
Pessoa. FERNANDO,

Bom dia,

photo by jak

INTOCÁVEIS

flor.jpg

ouça junto

O belo, o impróprio
O servo, a negação

O limite, o impulso
A chama, a atração


A distância, o versículo
A diferença, a sensatez

A paixão, pura verdade
Por você, mais uma vez.

photo & text| jak

Do cotidiano sem chão

Envoltos pelo abrigo,

Engenhados pelo castigo.

Esculpidos de itinerância,

Á lugares sem esperança.

Derivativos de consciência

Dilacerados por instância;

Vitalizados por sequer especiaria,

Dos quais se elegem a insignificância.

Confinados a esquecer do presente,

Conjugados a lembrar do pretérito.

Da vida que servia de essência,

Do qual não mais se têm seu mérito.

photo-text|jak

Os refluxos da cortesia

Bonjour, agarre cada segundo. os momentos são mais preciosos, sem a contagem regressiva. -jak 

Vítimas de indecisão, afinam a teoria do prazer.

E o prazer encomendado de coesão faz tudo de bom perecer.

Perecer da raiz, o fio da união fragmentar.

Que de um cisco, uma ventania, faz de todo esse tempo mudar.

A segurança, o inquérito, o finito.

Sonhar acordado é um caso indistinto.
simbolosIMG_5667.jpg

O daltônico recorre ao bem me quer.

Mas se as recorrências não são exatas, a levitação alivia temporariamente algo sequer.

Divino, é o tempo que se adormece.

Onde a omissão faz com que a inércia se desenvolva e se enriquece.


photography’s| jak

Abram alas para a paz

{photos by jak}

Estou mergulhando em uma bossa influente…

meus olhos, estão esfumaçados, algo indevido os repreende.

Meus passos, dividem o centro das atenções…

alguns exagerados até demais, outros, investigados a discussões.

Ouço rochedos tranquilos, pássaros a voar…

ouço porém onde habito, almas em exílio a se adejar.

As palavras andam corroendo multidões…

e o silêncio castiga o ramo das denotações.

A paz vem sendo procurada interiormente…

e sim, hoje é o vergel dessa flora remanescente.

Do bom filho virá a reciprocidade…

de que não há algo melhor, senão viver em tranquilidade.

2016-11-30 09.08.31 1.jpg


bom dia, jak

Sem humor.. a vida não tem graça 🐡

Rufem os tambores


Yes, i’m back!

Após 552 horas (~aproximadamente) eis que retomo ao meu tabernáculo com muita papa na língua e claro, com muitas coisas para compartilhar.

Foram dias conturbados entretanto, o dia da prova foi tudo okay. –ehhhh

Já estava com saudades desse ranchinho, da conjunção de uma serenada de palavras e da delicada companhia vossa.

E como toda concêntrica volta, nada melhor que estar de bem com a vida  🙂 Isso é inteligivelmente um apreço indispensável!

voilá

Risco

minha vida

pelo ceder da

ação vivendo cada

posse com toda emoção;

E

quando a foto

infiltra a riqueza aparece.

Do

exercer essa

vida do viver que carece.

Do sentir

o ser feliz,  do sentir

o ser natural. Da vida que

se condiz do humor em alto astral.

cat
photography’s by jak

Até amanhã,

jak