DESFILADEIRO DIÁRIO

Dada a largada e os olhos atados se divorciam Á procura de um cenário vistoso Mentes brilhantes me desafiam Rastreio os albores Interfiro o brilho — degluto minha ablepsia O palmo, o bruto, um certame, um consenso, uma heresia Distraio agouros seguindo a tática da imitação Recebendo o sol que não queima A chuva que … Continue lendo DESFILADEIRO DIÁRIO

Anúncios

DOIS CAFÉS, UM DESENHO e O AR

Por mais que o tempo passe, tudo, —em memória de momentos únicos— ressurge os períodos vagos.  Penso eu ao se delongar de frente á manhã nublada, álacre de tentações. Manhãs como essa, tal dia, viera a me prestigiar em confrangimento do acordar, em pleno horário de verão, o despertar diurno anegralhado. Dificilmente tenho recordações aleatórias, … Continue lendo DOIS CAFÉS, UM DESENHO e O AR

MARCAS

Existem marcas em todo lugar Daquelas estampadas de sol Até as que não se pode enxergar. Algumas exigem um esforço memorável Talvez a marca de nascença, Um tipo bem provável. Outros assumem o advérbio da nota, uma célula, um apreço Advindo de muita história Sobre a qual não há texto. Muitas delas são inatas Indestrutíveis … Continue lendo MARCAS

O DECAIR do ÁTOMO

22:49  boa noite - acompanhe o texto com música - photography/text  por jak e quando a vista começa a melhorar, o horizonte não mais persevera, a condolência reside e a parede construída esgota-se, evola-se, deixando rastros, sombras, ou algo que identifique que nada deu certo. é necessário dar corda várias vezes, afiliar-se ao manto flexível, reiterando, … Continue lendo O DECAIR do ÁTOMO

Que horas são?

Cinderella - Coming Home Não vejo o momento para estar em casa Enfastiar os vizinhos em plena sexta-feira à noite Contanto, Contando... É complicado quando você mesmo já não sabe quem foi Algo que se prese convida a memória mais construtiva em remorso de sua gravidade caritativa Ainda me pergunto: se todas as perguntas fossem … Continue lendo Que horas são?

~enquanto duram

'escolha o caminho fácil e assim que possível o sol estará entre triagens transparentes. assim que tudo passar, a natureza nos impedirá de sossegar na mesma tecla. então se possível, vá pelo caminho difícil. avance a plataforma pela medonha façanha do desconhecido. enquanto durarem nossas cotas que incitam do mesmo golpe debulhado de entusiasmo, a flexibilidade de nossos … Continue lendo ~enquanto duram

Instância de cores

E foi-se ao todo; uma correnteza exorável resfriando sobressalente o contorno do homem. O mesmo que fez as luzes, os prédios, as rotas, nunca tão perto esteve frenético a proximidade do escuro. Quão alto degradante. Esteve extraído nele, os dias embargados no vinho; falta perplexa do contato humano, área instabilizada da fertilidade amargurada; estatelada dose … Continue lendo Instância de cores

MINI-HÁBITOs

~se a vida é feita de escolhas, eu escolho ser feliz| 11:01 Como vai, meu caro?? 🙂 Aposto que seu final de semana fora esotericamente doce, principalmente para os chocólatras, não? hehe. Nada que uma brincadeira daqui acolá fizesse de falta nessa comemoração. Pois bem, dessa vez meu alvo foi concentrado numa grande mulher aventureira. HEY, VÓ! Apanhei um desses … Continue lendo MINI-HÁBITOs

mas para a alma faminta,

...todo amargo é doce.  (Provérbios 27:7) Bom dia, -eis um sonsinho bom pra escrever 🚀 Cá estou. 15º semana do ano. Deliciando um café puramente quente. E de passe a esclarecer meu intervalo no blog. Sempre haverão duas coisas sobre as quais não poderei distinguir. As que tenho e as que me tem. Os diferentes pontos de … Continue lendo mas para a alma faminta,

PARA ENCERRAR BEM O DIA – Jak K.

150 palavras sobre o amor                                                                                    Eu amava. Tu amarias. Como saber que nos amamos? … Continue lendo PARA ENCERRAR BEM O DIA – Jak K.