~enquanto duram

2016-11-30 10.56.17 1.jpg‘escolha o caminho fácil e assim que possível o sol estará entre triagens transparentes. assim que tudo passar, a natureza nos impedirá de sossegar na mesma tecla. então se possível, vá pelo caminho difícil. avance a plataforma pela medonha façanha do desconhecido. enquanto durarem nossas cotas que incitam do mesmo golpe debulhado de entusiasmo,

a flexibilidade de nossos poemas tomam o fingimento acolhido pela fauna soturna.

enquanto durarem os prazeres finitos, o vazio tomará coincidência de uma falta imprópria. entre um e o outro, caminhamos pelo canto da serenidade oculta.

enquanto duramos, a razão será apenas das poucas entrelinhas que estaria acompanhada do pouco, do muito. a combinação de imagens nos permite sermos o que aspiramos. enquanto duram, sem tempo a cronometrar, cenas de dor e felicidade, brindam a visibilidade real da pérfida entrada do tratado vivaz.

logo, o que durar, venha ser um verso mantido

de amor e ódio. de uma maneira franca de se excogitar.’

jk

Instância de cores

2016-12-22 11.52.58 1-01-01-01.jpegE foi-se ao todo; uma correnteza exorável resfriando sobressalente o contorno do homem. O mesmo que fez as luzes, os prédios, as rotas, nunca tão perto esteve frenético a proximidade do escuro. Quão alto degradante. Esteve extraído nele, os dias embargados no vinho; falta perplexa do contato humano, área instabilizada da fertilidade amargurada; estatelada dose do se ver sozinho.

Regido de fúria, sempre em torno do atenuante restar. Medo da mesma sombra do que uma vez se pode tornar. Recesso de amor. Espesso de culpa. Cores que uma vez versavam, cinzas dependentes, ocupam sua sinceridade oculta. Mais do que o próprio verbo, esconde-se a face em tons de luta. Assim. Caminha ele. Presumindo o viver sem dele, as forças da necessidade enxuta.

-good morning, j■k-

MINI-HÁBITOs

~se a vida é feita de escolhas, eu escolho ser feliz| 11:01

Como vai, meu caro?? 🙂 Aposto que seu final de semana fora esotericamente doce, principalmente para os chocólatras, não? hehe. Nada que uma brincadeira daqui acolá fizesse de falta nessa comemoração. Pois bem, dessa vez meu alvo foi concentrado numa grande mulher aventureira. HEY, VÓ! Apanhei um desses ovos de galinha caipira, submeti em uma embalagem de sonho de valsa e a partir de uma cestinha decorativa, dei o golpe do ovo de páscoa!! É óbvio que ao contato alarmante de suas mãos, o sentido da brincadeira foi resultado de grande exaltação. Mas tudo ficou bem no final de contas, claramente sendo presenteada com seus sortidos suculentos, rs. 🍫

Well, well… hoje resolvi escrever um pouco. E se existe uma coisa que detesto é limites. Já tentei de tudo para depor com estrategismo de expectativas. Vamos contar que nem tudo, pois estou acertando essa reputação comigo mesma com um passo de cada vez. É um saco ter que conceituar um turbilhão de coisas com aquelas que seu corpo aparentemente já atende por domínio. Logo que previ essa entrância de uma nova fase, tornei a favorecer a prática dos mini-hábitos; nada mais é que uma organização diária dos seus á fazeres, entretanto, com escalas de menor tempo!

DESIGN JAK.JPG
um café, será sempre uma boa pedida.

Ok, vejamos um exemplo… ler. HA! Antes, eu mergulhava de cabeça em 1 capítulo por dia. No dia seguinte, não sabia nem a metade do que foi lido, devido a falta de concentração (-deve ser a velhice chegando). Essa semana iniciei o relance de ler 2pág/dia, até que felizmente eu pegue o hábito de acrescentar propósito sem sentir tédio. Outro meio, são os estudos. Ao contrário de se derreter em frente ao computador com tanta informação processando, estou averiguando 2hrs do meu tempo para efetuar a dedicação daquilo que me traz afins do conhecimento intelectual. De fato, a gente somente, coff coff, ‘só mente’, quanto a relação de querermos algo e acharmos que não conseguimos.

*pura verdade*

Portanto, nada que um empurrãozinho na consciência ajude a viabilizar o que queres do que desejas;

-e você? como lida com esses problemas no dia-a-dia? 

até amanhã, jak| 😉

mas para a alma faminta,

…todo amargo é doce.  (Provérbios 27:7)

Bom dia, –eis um sonsinho bom pra escrever 🚀

Cá estou. 15º semana do ano. Deliciando um café puramente quente. E de passe a esclarecer meu intervalo no blog. Sempre haverão duas coisas sobre as quais não poderei distinguir. As que tenho e as que me tem. Os diferentes pontos de vista, acabam ocupando o verdadeiro esboço do horizonte. Certo, certamente. Sempre em ascensão do exorbitante encontro. Meramente ilustrativo, é convencionar a mercê de nossas estatísticas estando sempre a frente do reflexo razoável. Isso não se detém á fatos, no entanto, aos fatores, por qual me servem ao incisivo perfeccionismo.

Ou seja, você aí, que deixa tudo em cima da hora, faz aquelas listas gigantes, escreve 200* rascunhos mas não acomete a repercussão em terminar… pois bem, era isso que estava acontecendo. Num momento tudo está sob controle, o domínio, a soberania… até que você desmaia na procrastinação e os problemas acabam surgindo onde menos se imagina. E claramente a vontade de um mundo á progredir, desaparece. Para tanto, neste momento reaparece. EHHHH -pausa para exaltação. 🙂   *EXAGEROS À PARTE.

desenhojak.JPGDesde então, passei a ruminar diante de tanta coisa que fiz até aqui. E fato é, se você não possui o disparo pelo desejo de fazer algo que realmente sinta-se a vontade, a melhor maneira á designar, é pressionar o gatilho em outro propósito. Nesse caso, gostaria de anteceder-lhe a notícia que, sim, estou de volta. E adivinhem? Todo conteúdo de agora em diante, não apresentarão sequer outra fonte senão criada/fotografada/desenhada/escrita por essa pessoa que vos escreve. Por que? No instante em que criei este espaço, a datar pelo início desta trajetória, essa era a verdadeira intenção. Reunir esse conjunto de loucuras que se remete ao meu mundo.

Finalmente, depois de tanto tempo procurando uma solução, mesmo estando com a resposta debaixo do nariz, eis o veredito para continuar a fazer parte dessa aventura. Fazer o que gosta. Ponto. FAZER e descobrir-se por acaso. Sem caso.

Afinal, sempre estaremos entre o sim e o não. Mas o talvez, nos dá tempo de sonharmos acordados, enquanto banhamos a tarefa de se recorrer a imaginar tudo que temos.

Nos vemos por aí,

hasta la vista,

jak

PARA ENCERRAR BEM O DIA – Jak K.

IMG_9199.JPG

150 palavras sobre o amor                                                                                   

Eu amava. Tu amarias. Como saber que nos amamos? Amar é desejo inescrutável. Infantaria atônica do sentimento aturdido; sem do mesmo, ausência incessante. Ora antes que saberdes amar á sermos amados, o amor se dá à quem ninguém pertence. Alvo sem retiro, pressa acalmada do toque. É colo ignóbil, entremeio à almas desconhecidas. É pendência plantada à inexistência ao que regar. A concentrada natureza silenciosa que alenta. O mergulho à céu aberto. Diferente, estridente e invisível. É alimento avito sem escasso de fome; ditado que se adorna ao elucidante viver. Amar-de-ei uns aos outros como devido a ti . Ames porquanto amarás. Dentre o calor derretido, a elegia do coincidente sofrer. Mas não sustente a verdade a quem lhe custe perecer. Simplesmente amável. Torne-se a adorar. Pois amor é pouco acima de qualquer escarpa. Ames incondicionalmente. Ainda que criastes chances do esquecer, sucessivamente do ser amado. Apenas amemos. À sobretudo amar.

jak|ouça

ATÉ SEMANA QUE VEM! ^^

FIM DE SEMANA OFF-LINE

Hey, what’s up? Que tal ler ao som do The Killers, hein. 

“Sabe aqueles planos traçados no papel? Pois é, se queres vê-los romper sobre a suspensão de sua realidade, corra atrás campeão!” 😉 ~jak

Bem, cá entre nós… se tem uma coisa que eu admiro é dedicar um tempo para a família. A gente vive nessa correria do dia-a-dia, acaba dispensando o melhor potencial da palavra viver e, no fim das contas deixa muito disso passar em razão de minutos. Portanto, nesse fim de semana fiz desse comportamento meu auge de exercer o veredito. Resumindo: desliguei-me de tudo, do blog, dos sites que costumo frequentar, enfim, dessa bagagem tecnológica e fui viver o mundo real. Estava mesmo precisando cair em si. Todavia, nós criamos infortúnios, nós se tornamos infortúnios, flertando nossa consciência por meio deste que se viabiliza a observar nosso território do ser e estar.


anigif

Primeiramente, assisti um filme (Minha querida Anne Frank) que me introduziu fielmente com a história. Não tinha muito contato com a biografia de Anne mas ao proceder do filme, me fez ter o desejo de ler o seu diário que provavelmente deve instituir muitos assuntos interessantes, o que me agrega ainda mais lê-lo.

Depois da festa do meu caçula, apanhei a bike no meio da noite e pus-me a pedalar no ramo das dez horas. Posso confessar uma coisa? Andar de bicicleta durante a noite é altamente delicioso. ^^

20170212_180025-1Suplente á um dia de domingo, diria que estaria largada no sofá –uncle grandpa. No entanto, como uma visitinha a nossos avós é sempre bem-vinda, resolvi fazer uma visita agradável e de lá preparamos várias delícias, entre elas, uma torta de palmito de tirar o fôlego (depois quero adquirir a fórmula secreta, hein vó). Me empanturrei de tortas até dizer chega, hehe.

fiquei exaltada por fazer parte dessa experiência e enfim posso clamar por bis!

sei que já é quarta-feira mas, como foi seu final de semana?

jak  🙋

O sumo de 1/2 limão

03/02  19:10  post de hoje: crônica - art by jak

Eu sou o limão. E peguei a hora exata para começar a digitar esse texto. Não me convenho com a forma que as pessoas me conjecturam. Particularmente, sou azeda, daquelas que nem mesmo se adoçando resolve. Me comporto conforme os condimentos que me é aprimorado. De vezes, gosto mesmo é de arriscar algo novo, servir de essência para levantar o astral; emitir um novo toque.

lemon

Muitas vezes, sou posta como sobejo. Ninguém sabe mas, a melhor parte de mim estão nas sobras. Uma coisa que detesto, é ser encarregada de impressionar alguém. Eu gosto mesmo é de provocar sobressaltos, do tipo conceituado de tequila. Imaginem só, extrair toda minha felicidade para ser a limonada de alguém. Não. Me nego a favorecer os prazeres absortos sem antes compreender o espaço que serei deferido. Sendo assim, sou 1/2 do que digo, 1/2 da seiva que tempero. A outra metade, é a parte evasiva, é a 1/2 de um mistério!


jak 🍏

MPB: música para beleza – interior

02/02/2017 08:55| photos by jak

bonjour, em plena manhã, saboreando um pãozinho com manteiga acolhida pelo calor enérgico do café coado, escutando Renato Russo e sim, demorando uma eternidade para fixar os olhos em uma das 5 abas abertas no navegador. Eis que fixo e enfim podemos começar.

Sabe, eu nunca valorizei minha atenção para escutar música popular brasileira. Sempre me prendi á uma xenofilia e ademais, sigilei desprender o que não me causava delírio. Para mim, MPB, representava sem dúvidas, música para bocejarhehe. Contudo, essa visão sarcástica se transformou em uma oferta para saborear algo novo, o que é indispensável para mim. Da zona urbana á zona rural. Qualquer que seja seu ponto atual, MPB já fez parte da sua vida ou ainda faz.

photo cidade.jpg

Lembro-me de um tempinho assim, quando ia para a escola de manhã. Era delicioso. Minha mãe ligava o rádio e deixava a aura subir, reinando em nossas manhãs, com chá ou sem chá. Bons tempos. E não é que eu gostava da coisa. Do som afetuoso, daquelas de barzinho com música de fundo. Sem contar as novelas, no ‘vale a pena ver de novo’. De alguma forma, o MPB teve um percurso marcante em minhas lembranças.

Enfim, eis que essa pessoa, amante de qualquer codinome internacional, prestou em ocupar um tempinho para ouvir Maria Gadú. Tendo o resultado positivo, o Mr. Google auxiliou num campo extensivo. Cazuza, Chico Buarque, Leoni, Gonzaguinha e +. Estou adorando conhecer a poesia comportada em uma suavidade oportuna oferecida desse gênero. Tenho certeza que há muitas faixas para explorar ainda.

...faz parte do meu show, meu amor...

E você? Qual é a sua relação com o MPB?

STATUS: ACEITANDO INDICAÇÕES! 😉 haha

com amor, jak

Um pedido: desacelere! ✌️

30/11 19:11 photos by jak| ouça

Senhoras e senhores! Como vão?

Sei que existe uma explicação para esses intervalos incessantes que vim acumulando por aqui. Mas queiram me desculpar! A vida acaba não sendo aqueles subjetivos que tanto aspiram a favor das boas energias. Justamente isso é que venho ortografar.

Existe grandes elementos para que sejamos as melhores pessoas do mundo. Porém, nem todos os dias são agregados de inspiração e auto eficiência. É normal não estar sempre bem. Que pessoa no mundo acorda todos os dias na visão de observar um dia radiante e maravilhoso em uma manhã nubilosa? Somos campos defeituosos. Sempre expandindo o conhecimento, sempre querendo mais. Somos a soma de experiências mal concluídas e o medicamento de coisas vertiginosas. Mas qual é o tratamento para as coisas começarem á desenvolver-se? De ti para si. De si para o mundo: desacelere.

img_8030


Quantos não cabem dentro de um sim? Claro, a resposta indecifrável! No entanto, quantas vezes deixou de fazer as coisas porque não satisfaziam as suas expectativas? Desculpe o transtorno, mas isso é fato, está em mim, está em você, está em todo mundo. A medida que criamos a zona de conforto, qualquer indigesto cativante, é mera coincidência. Mais vale aceitar a decisão de que ninguém é perfeito do que se apropriar de um padrão que não permite explorar o melhor de seus atributos.


img_8008


Nessa caso, simplifique. Não queira chegar ao céu sem antes conhecer a terra. O mundo assingela por esse pedido.

Siga seus passos de acordo com sua velocidade. O que os outros fazem, os que outros assemelham… esqueça!!! A maior razão para a ansiedade incontestável é ser o pecado da comparação, se obtendo de fracasso como reflexo da vitória dos outros. Jamais impeça de realizar sua missão nesse mundo, por uma causa não correspondente a sua. Provoque a habilidade que percorre em suas veias e, vá atrás de seus sonhos, sem abnegar sua origem. Medite, respire fundo. Quando estiver a executar uma decisão errada, pense e repense. Não jogue tudo para o alto. Grandes conquistas, são resultado de grandes caminhadas. E não menos importante, agradeça. Agradeça pela oportunidade do agora. Ser feliz, não está em nenhuma forma de investimento. Está no equilíbrio em que você recebe a sua vida. Podem vir anos e anos. Idas e vindas. Somente você tem a garantia de ter um ano novo todo dia. Você faz a mudança, okay? Então levanta sacode a poeira e dá a volta por cima.

meu muito obrigada,

jak

Do cotidiano sem chão

Envoltos pelo abrigo,

Engenhados pelo castigo.

Esculpidos de itinerância,

Á lugares sem esperança.

Derivativos de consciência

Dilacerados por instância;

Vitalizados por sequer especiaria,

Dos quais se elegem a insignificância.

Confinados a esquecer do presente,

Conjugados a lembrar do pretérito.

Da vida que servia de essência,

Do qual não mais se têm seu mérito.

photo-text|jak