#GIRLBOSS + 2OO RASTROS de APRENDIZADO

-hey, what's up?- Geralmente, ao preceituar de encontro a um final de semana (-seja ele prolongado), a última hipótese que passa pela minha cabeça é escrever por aqui. OK! São os dois únicos dias que tratamos da instabilidade do pensamento, o título de fazermos o que quisermos. Entretanto, dizem que os últimos sempre serão os … Continue lendo #GIRLBOSS + 2OO RASTROS de APRENDIZADO

Anúncios

Do cotidiano sem chão

https://www.youtube.com/watch?v=lm8oxC24QZc Envoltos pelo abrigo, Engenhados pelo castigo. Esculpidos de itinerância, Á lugares sem esperança. ♤ Derivativos de consciência Dilacerados por instância; Vitalizados por sequer especiaria, Dos quais se elegem a insignificância. ♤ Confinados a esquecer do presente, Conjugados a lembrar do pretérito. Da vida que servia de essência, Do qual não mais se têm seu mérito. photo-text|jak

Faltando pouco para o natal…

e já estou com as emoções aclamando pelo tão esperado natal. 🙂 E vocês como estão? Ontem estive perto de não fazer nada em especial para presentear alguém, já que minha mãe, neste ano, inventou o tal amigo secreto aqui em casa. O que é legal, portanto, não se sabe quem será o presenteado. Pois … Continue lendo Faltando pouco para o natal…

Os refluxos da cortesia

Bonjour, agarre cada segundo. os momentos são mais preciosos, sem a contagem regressiva. -jak  Vítimas de indecisão, afinam a teoria do prazer. E o prazer encomendado de coesão faz tudo de bom perecer. Perecer da raiz, o fio da união fragmentar. Que de um cisco, uma ventania, faz de todo esse tempo mudar. A segurança, … Continue lendo Os refluxos da cortesia

sous pression

Bonjour, -não careça, até a pedra mais dura sente a presença da dolorida punição- jak de uma escala de um á dez, como você está se sentindo hoje? hoje passei por um apuro delicado, daqueles que te prendem constantemente ao perfeccionismo. haja coragem para deter as membranas dessa cominação. ora te dá nos nervos, ora … Continue lendo sous pression

Salut, good morning! Já se encontrou falando sozinha(o)? Fato, quem nunca! Acredito eu, que falar sozinha é algo do dia a dia de qualquer ser humano. Literalmente, é até bom discutir, refletir, cantar, reclamar, de modo que escoe no ambiente todo. O certo prazer de nunca se sentir sozinho acontece nessas ocasiões. E em muitas … Continue lendo

...A principio, tínhamos a liberdade de sermos o que geramos pela incapacidade de nos supervisionar. E isso atraía as convenções em volta, isto é, outras pestinhas em busca de uma diversão exclusiva. Realmente isso só me traz saudades. No cotidiano, agora com meus vinte anos, ser adulto é tão estressante, portanto não era o que eu imaginava. Bem, todas as noites, conversávamos, ríamos da frescura e abominação dos outros, quando dito outros me refiro a nós. {...}