~enquanto duram

2016-11-30 10.56.17 1.jpg‘escolha o caminho fácil e assim que possível o sol estará entre triagens transparentes. assim que tudo passar, a natureza nos impedirá de sossegar na mesma tecla. então se possível, vá pelo caminho difícil. avance a plataforma pela medonha façanha do desconhecido. enquanto durarem nossas cotas que incitam do mesmo golpe debulhado de entusiasmo,

a flexibilidade de nossos poemas tomam o fingimento acolhido pela fauna soturna.

enquanto durarem os prazeres finitos, o vazio tomará coincidência de uma falta imprópria. entre um e o outro, caminhamos pelo canto da serenidade oculta.

enquanto duramos, a razão será apenas das poucas entrelinhas que estaria acompanhada do pouco, do muito. a combinação de imagens nos permite sermos o que aspiramos. enquanto duram, sem tempo a cronometrar, cenas de dor e felicidade, brindam a visibilidade real da pérfida entrada do tratado vivaz.

logo, o que durar, venha ser um verso mantido

de amor e ódio. de uma maneira franca de se excogitar.’

jk

ESPERANÇA

ouça junto - Cartola: As rosas não falam

DSCF1561.JPG
Esperança
Espera. 
Desesperadamente. 
Nela. 
A esperança. 
Esperança é acordar na igualdade e ver o azul em diferentes tons de alegria.
Esperança é chorar o erro e virar as páginas pré possante de agonia.
Esperança. Se por assim dito, ainda há, ou será de estar em algum foguete?
Foi-se pro espaço, num terreno bem abaixo de um lugar domado por uma rede.
Rede fisgada, pela serpente depravada, alimentada pelo medo.
Embora seja revistada, em todas as ordenadas, a parcela imprementada de um segredo. 
Esperança. É ser a verdade e uma leve coragem no colo do desatino.  
Esperança. É visar a entrada e estatelar os olhos ao indigesto pulsar do repentino.
Da fé se têm... confiança.
Da cor se rega... a lembrança. 
Da vida se espera... 
Espera. 
Desesperadamente.
Nela.
O vinhedo da perseverança.  
—
photo/text jak

SUSTENTAÇÃO’

mares.jpgToma-te o porre

Ó velha epifania

Toma-te ideias

Que os mares espantam

Toma-te paz

Ou envelheça dela

Toma-te ao céu

Ó frescor arrendante.

photo|text by jak

 

Instância de cores

2016-12-22 11.52.58 1-01-01-01.jpegE foi-se ao todo; uma correnteza exorável resfriando sobressalente o contorno do homem. O mesmo que fez as luzes, os prédios, as rotas, nunca tão perto esteve frenético a proximidade do escuro. Quão alto degradante. Esteve extraído nele, os dias embargados no vinho; falta perplexa do contato humano, área instabilizada da fertilidade amargurada; estatelada dose do se ver sozinho.

Regido de fúria, sempre em torno do atenuante restar. Medo da mesma sombra do que uma vez se pode tornar. Recesso de amor. Espesso de culpa. Cores que uma vez versavam, cinzas dependentes, ocupam sua sinceridade oculta. Mais do que o próprio verbo, esconde-se a face em tons de luta. Assim. Caminha ele. Presumindo o viver sem dele, as forças da necessidade enxuta.

-good morning, j■k-

MINI-HÁBITOs

~se a vida é feita de escolhas, eu escolho ser feliz| 11:01

Como vai, meu caro?? 🙂 Aposto que seu final de semana fora esotericamente doce, principalmente para os chocólatras, não? hehe. Nada que uma brincadeira daqui acolá fizesse de falta nessa comemoração. Pois bem, dessa vez meu alvo foi concentrado numa grande mulher aventureira. HEY, VÓ! Apanhei um desses ovos de galinha caipira, submeti em uma embalagem de sonho de valsa e a partir de uma cestinha decorativa, dei o golpe do ovo de páscoa!! É óbvio que ao contato alarmante de suas mãos, o sentido da brincadeira foi resultado de grande exaltação. Mas tudo ficou bem no final de contas, claramente sendo presenteada com seus sortidos suculentos, rs. 🍫

Well, well… hoje resolvi escrever um pouco. E se existe uma coisa que detesto é limites. Já tentei de tudo para depor com estrategismo de expectativas. Vamos contar que nem tudo, pois estou acertando essa reputação comigo mesma com um passo de cada vez. É um saco ter que conceituar um turbilhão de coisas com aquelas que seu corpo aparentemente já atende por domínio. Logo que previ essa entrância de uma nova fase, tornei a favorecer a prática dos mini-hábitos; nada mais é que uma organização diária dos seus á fazeres, entretanto, com escalas de menor tempo!

DESIGN JAK.JPG
um café, será sempre uma boa pedida.

Ok, vejamos um exemplo… ler. HA! Antes, eu mergulhava de cabeça em 1 capítulo por dia. No dia seguinte, não sabia nem a metade do que foi lido, devido a falta de concentração (-deve ser a velhice chegando). Essa semana iniciei o relance de ler 2pág/dia, até que felizmente eu pegue o hábito de acrescentar propósito sem sentir tédio. Outro meio, são os estudos. Ao contrário de se derreter em frente ao computador com tanta informação processando, estou averiguando 2hrs do meu tempo para efetuar a dedicação daquilo que me traz afins do conhecimento intelectual. De fato, a gente somente, coff coff, ‘só mente’, quanto a relação de querermos algo e acharmos que não conseguimos.

*pura verdade*

Portanto, nada que um empurrãozinho na consciência ajude a viabilizar o que queres do que desejas;

-e você? como lida com esses problemas no dia-a-dia? 

até amanhã, jak| 😉

mas para a alma faminta,

…todo amargo é doce.  (Provérbios 27:7)

Bom dia, –eis um sonsinho bom pra escrever 🚀

Cá estou. 15º semana do ano. Deliciando um café puramente quente. E de passe a esclarecer meu intervalo no blog. Sempre haverão duas coisas sobre as quais não poderei distinguir. As que tenho e as que me tem. Os diferentes pontos de vista, acabam ocupando o verdadeiro esboço do horizonte. Certo, certamente. Sempre em ascensão do exorbitante encontro. Meramente ilustrativo, é convencionar a mercê de nossas estatísticas estando sempre a frente do reflexo razoável. Isso não se detém á fatos, no entanto, aos fatores, por qual me servem ao incisivo perfeccionismo.

Ou seja, você aí, que deixa tudo em cima da hora, faz aquelas listas gigantes, escreve 200* rascunhos mas não acomete a repercussão em terminar… pois bem, era isso que estava acontecendo. Num momento tudo está sob controle, o domínio, a soberania… até que você desmaia na procrastinação e os problemas acabam surgindo onde menos se imagina. E claramente a vontade de um mundo á progredir, desaparece. Para tanto, neste momento reaparece. EHHHH -pausa para exaltação. 🙂   *EXAGEROS À PARTE.

desenhojak.JPGDesde então, passei a ruminar diante de tanta coisa que fiz até aqui. E fato é, se você não possui o disparo pelo desejo de fazer algo que realmente sinta-se a vontade, a melhor maneira á designar, é pressionar o gatilho em outro propósito. Nesse caso, gostaria de anteceder-lhe a notícia que, sim, estou de volta. E adivinhem? Todo conteúdo de agora em diante, não apresentarão sequer outra fonte senão criada/fotografada/desenhada/escrita por essa pessoa que vos escreve. Por que? No instante em que criei este espaço, a datar pelo início desta trajetória, essa era a verdadeira intenção. Reunir esse conjunto de loucuras que se remete ao meu mundo.

Finalmente, depois de tanto tempo procurando uma solução, mesmo estando com a resposta debaixo do nariz, eis o veredito para continuar a fazer parte dessa aventura. Fazer o que gosta. Ponto. FAZER e descobrir-se por acaso. Sem caso.

Afinal, sempre estaremos entre o sim e o não. Mas o talvez, nos dá tempo de sonharmos acordados, enquanto banhamos a tarefa de se recorrer a imaginar tudo que temos.

Nos vemos por aí,

hasta la vista,

jak

RECRUTAMENTO DE IDEIAS (meio-tempo a folia)

Salut, como vai caro amigo (a)? 🙂

Cá estamos de novo. De modo a procriar estratégias para o feriadão render deforma recompensante. Convenhamos que o ano só começa logo que o carnaval termina. YES! Elaborar coisas gradualmente bacanas, nos desviam daquela preguiça bajuladora de ânimo, hehe. Ah! A preguiça também não é nenhuma vilã da história -disse a moleza em pessoa. Demora-se um tempo até o corpo entrar no ritmo. Consequentemente, esse meio-tempo pode significar um intervalo interessante para conhecer/ler/ouvir/assistir algo inaudito. Se você optou por ficar em casa nesse carnaval, assim como eu, tenho certeza que essas recomendações possam servir de algum modo para quebrar aquele tédio da porr*.

IMG_9277.JPG
fotografia fremente resultado de uma noite sem sono

💬 Ler livros de diferentes gêneros: Sistematizei um critério bem simples para incentivar meu hábito de leitura que andara ultimamente bem decepcionante. Assim separei os livros: Yoga para a era moderna – O CAMINHO DA PERFEIÇÃO (auto-ajuda), Nova antologia poética (poesia), Enclausurado (romance), O livro negro de Thomas Kyd (infantojuvenil). Todavia, ler um pouco de cada um, acaba levando a sua identidade para o que realmente goste de ler. Observemos. Do que adianta o próprio leitor se estremar a ser leitor se não souber reconhecer o que te fascina. Em verdade, os livros de infantojuvenil proporcionam uma característica itinerária, devido a sua facilidade entre o texto acessível e a junção das ilustrações que percorrem detalhadamente o caminho de nossa imaginação em contato da história. Mas o que realmente está me entretendo além, é vivenciar Mario Quintana.

💬 Correr por diversão: Pense que você pode chegar. Agora, imagine que cada passo consiste em muitos pontos ocultos que serão dado a cada largada. Você pode conseguir atingir essa meta, aliás existe uma bandeira de compensação quando você conquista esse desempenho. Correr é tudo de bom. Tenho o costume de correr durante ás tardes de domingo, assim que possível. A noite, de manhã, de madrugada. Sua melhor companhia na corrida, será um par de tênis e uma playlist incentivadora. Mas se tiver com quem dividir essa experiência, a diversão será certamente em dobro!!

img_6795

💬 Assistir á documentários do vosso interesse: Isso é freneticamente pessoal. Mas se documentários de fotografia, alternam por sua incrível atenção, assisti um documentário show de bola sob o qual me interagiu a ver esse atributo de outra forma. Seguido ao nome Close UP Photographers at Work, está dividido por partes: 1 e 2, cujo estão disponíveis respectivamente no YouTube. Sim! É um documentário para ver e se inspirar com os grandes talentos renomados do hemisfério fotográfico.

Bem, não tenho outra alternativa para finalizar esse post, do que com a mais sincera desculpa de que estou com preguiça para interagir sobre o que mais podemos fazer essa semana. Se por alguma razão esse texto ficar gigante, é mera coincidência, haha. A verdade é que desejo-te uma semana bem tranquila, daquelas que ficar na cama o dia todo, é divida sendo paga pelo seu corpo atolado de cansaço.

Um brinde a preguiça e que sejamos todos felizes por ela,

photos|jak

PARA COMEÇAR BEM O DIA – F. Pessoa

Não Tenho Pressa

Não tenho pressa. Pressa de quê?
Não têm pressa o sol e a lua: estão certos.
Ter pressa é crer que a gente passa adiante das pernas,
Ou que, dando um pulo, salta por cima da sombra.
Não; não sei ter pressa.
Se estendo o braço, chego exactamente aonde o meu braço chega –
Nem um centímetro mais longe.
Toco só onde toco, não aonde penso.
Só me posso sentar aonde estou.
E isto faz rir como todas as verdades absolutamente verdadeiras,
Mas o que faz rir a valer é que nós pensamos sempre noutra coisa,
E vivemos vadios da nossa realidade.
E estamos sempre fora dela porque estamos aqui.
Pessoa. FERNANDO,

Bom dia,

photo by jak

FIM DE SEMANA OFF-LINE

Hey, what’s up? Que tal ler ao som do The Killers, hein. 

“Sabe aqueles planos traçados no papel? Pois é, se queres vê-los romper sobre a suspensão de sua realidade, corra atrás campeão!” 😉 ~jak

Bem, cá entre nós… se tem uma coisa que eu admiro é dedicar um tempo para a família. A gente vive nessa correria do dia-a-dia, acaba dispensando o melhor potencial da palavra viver e, no fim das contas deixa muito disso passar em razão de minutos. Portanto, nesse fim de semana fiz desse comportamento meu auge de exercer o veredito. Resumindo: desliguei-me de tudo, do blog, dos sites que costumo frequentar, enfim, dessa bagagem tecnológica e fui viver o mundo real. Estava mesmo precisando cair em si. Todavia, nós criamos infortúnios, nós se tornamos infortúnios, flertando nossa consciência por meio deste que se viabiliza a observar nosso território do ser e estar.


anigif

Primeiramente, assisti um filme (Minha querida Anne Frank) que me introduziu fielmente com a história. Não tinha muito contato com a biografia de Anne mas ao proceder do filme, me fez ter o desejo de ler o seu diário que provavelmente deve instituir muitos assuntos interessantes, o que me agrega ainda mais lê-lo.

Depois da festa do meu caçula, apanhei a bike no meio da noite e pus-me a pedalar no ramo das dez horas. Posso confessar uma coisa? Andar de bicicleta durante a noite é altamente delicioso. ^^

20170212_180025-1Suplente á um dia de domingo, diria que estaria largada no sofá –uncle grandpa. No entanto, como uma visitinha a nossos avós é sempre bem-vinda, resolvi fazer uma visita agradável e de lá preparamos várias delícias, entre elas, uma torta de palmito de tirar o fôlego (depois quero adquirir a fórmula secreta, hein vó). Me empanturrei de tortas até dizer chega, hehe.

fiquei exaltada por fazer parte dessa experiência e enfim posso clamar por bis!

sei que já é quarta-feira mas, como foi seu final de semana?

jak  🙋

UMA LISTA PARA O DIA QUE VEM

10/2  🔵  17:02   photography’s jak| play

foto4.jpg

Das tantas concordâncias que atingimos, ainda não se sabe o porquê vivemos nesse tempo. Ansiedade, medo, discórdia, violência e tudo abduzido por um corpo cheio e esparramando sofrimento. A gente acaba se enfiando em desculpas que não mais se correspondem aos nossos esconderijos. É verdade, quem nunca viu, verá. Somos a planura do improviso. Temos fachadas rasuradas, rascunhos mal humorados. Há fases em nossas vidas, que nos ensinam um método extraordinário. O dia que vem, o dia que virá. Desconheço todo esse inclino, pois meus pulmões ainda não chegaram lá.

Eu sei do agora. Pelo menos o vejo. Agora o tempo está nublado, um pouco ensolarado com o bafejo do embasamento. Eu sei que passar horas pensando em algo, é ofuscar a vertigem iluminada. Mas penso eu que, um cérebro disposto de raciocínio é aquele que não pára por nada. Eis aqui minha lista para o dia que vem, para o dissertar dessa dádiva:foto5-ouvir um novo álbum do cigarettes after sex; meditar por 20 minutos; continuar a ler o livro da semana passada; fazer uma festa de aniversário para o meu irmão caçula; pedalar por aí sem ter pressa para chegar; respirar fundo; assistir um novo filme; cuidar-me-ei; fazer alguém feliz; ser essa pessoa feliz.

foto6TEMPEREMOS COM FILOSOFIA:

Nós somos o que fazemos. O que não se faz não existe. Portanto, só existimos nos dias em que fazemos. Nos dias em que não fazemos apenas duramos. -Vieira, Antônio.

carinhosamente, jak